Sabores e emoções únicas para você.

Degustar os melhores vinhos finos de altitude é mais um ótimo motivo para você visitar Santa Catarina. Após anos de investimentos e pesquisas, o estado conquistou um espaço merecido na produção de vinhos finos de qualidade. Aqui, o ambiente perfeito, uvas selecionadas e vinhedos localizados entre 900 e 1.400 metros acima do nível do mar, garantem um alto padrão de produção. O Vale do Contestado e a Serra são as duas grandes regiões produtoras, repletas de belezas naturais, onde o clima frio permite que as variedades de uva amadureçam de forma lenta e completa.

As excelentes condições geográficas, aliadas ao uso de modernas tecnologias e o trabalho de enólogos qualificados, resultou em espumantes, brancos, rosados, tintos e vinhos doces naturais, com características intensas e marcantes, próprias dos terrenos de altitude. A Rota dos Vinhos de altitude espera sua visita e oferece as belas paisagens catarinenses como acompanhamento perfeito para você degustar essa produção rica e variada. Uma produção que levou Santa Catarina a ocupar um lugar de destaque na vitivinicultura nacional.




VALE DO CONTESTADO





Videira

Colonizada por italianos e alemães, a agroindústria é a principal atividade econômica de Videira. Pequenos agricultores dedicam-se à criação de aves e suínos para fornecimento aos frigoríficos instalados na região. E como o próprio nome indica, Videira também é grande produtora de uva. Vale a pena conferir o Museu do Vinho, uma de suas principais atrações turísticas. Com relevo acidentado, a região abriga ainda belezas naturais como rios, cachoeiras e áreas verdes.




Treze Tílias

Um pedacinho da Áustria encravado em Santa Catarina, Treze Tílias faz questão de preservar a arquitetura, a culinária e as manifestações culturais dos pioneiros oriundos da região do Tirol. A tília, árvore nobre comum na Áustria, foi trazida da Europa e pode ser encontrada no município. A melhor pedida é fazer um passeio a pé pelas ruas cheias de sobrados pintados de branco, com beirais largos, detalhes em madeira escura, varandas e floreiras nas janelas. E provar as delícias dos pratos típicos da culinária austríaca.




Monte Carlo

As madeireiras impulsionaram a ocupação de Monte Carlo em meados do século XX. Hoje, a madeira de reflorestamento é uma das principais fontes de renda, ao lado da fruticultura – especialmente maçã e kiwi. Além das festas religiosas de Nossa Senhora Aparecida, em outubro, e da padroeira Nossa Senhora da Imaculada Conceição, em dezembro, Monte Carlo realiza o Rodeio Crioulo, em fevereiro ou março, além da Festa Nacional do Cabrito, em data móvel.




Água Doce

Aqui está localizado o maior parque eólico do estado. O Monumento ao Tropeiro lembra o fato curioso que deu origem ao nome da cidade: uma das mulas que transportava mantimentos caiu ao atravessar o rio, perdendo toda a carga de açúcar e "adoçando" as águas. No Morro São José, 1.200 metros acima do nível do mar, há um mirante que proporciona bela vista panorâmica da região. Vale a pena visitar: a cachoeira do Rio Cadeado, ideal para a prática de rapel. As fazendas Nossa Senhora do Belém e Boa Esperança, com trilhas, cachoeiras e área para camping e pesca.




Campos Novos

Conhecido como "celeiro de Santa Catarina", Campos Novos é um grande produtor de grãos e é o 3° maior município em extensão territorial de Santa Catarina. Depois que começou a ser ocupada por fazendeiros, em 1880, a região recebeu italianos, alemães, japoneses e portugueses, mas as tradições cabocla e gaúcha são predominantes. Campos Novos tem como principais atrações as suas propriedades rurais, que oferecem programas de cavalgadas, trilhas e passeios de barco.



SERRA CATARINENSE





Campo Belo do Sul

Ponto de descanso dos tropeiros que cruzavam toda a região, entre Rio Grande do Sul e São Paulo, Campo Belo do Sul festeja todo ano os resultados da sua produção agrícola na Festa da Colheita, realizada em maio. A igreja matriz da cidade, construída com blocos de pedra-ferro, preserva um pinheiro nativo em seu interior. Outro ponto interessante que atrai os turistas é o antigo moinho da comunidade de Alto Travessão, no interior do município.




Urubici

Pelo seu relevo variado, Urubici é um dos paraísos do turismo de aventura no país, ideal para a prática de rapel, canoagem, voo livre, mountain bike, entre outras modalidades. Os principais atrativos do município são as pousadas charmosas e aconchegantes e paisagens inesquecíveis, como a lendária Serra do Corvo Branco e a vista da Pedra Furada, localizada no Morro da Igreja, o 2° ponto mais alto do Sul do Brasil, com 1.822 m de altitude.




Urupema

Localizada na Serra Catarinense a uma altitude de 1.450m acima do nível do mar, a temperatura média anual é de 13°C.
Apesar de ser um país tropical, nesta região encontramos clima temperado com verão ameno e inverno rigoroso, com registro de geadas médias e fortes, neve e sincelo (congelamento do orvalho) e temperaturas muito baixas que chegam segundo dados do Centro de Informações de Recursos Ambientais e Hidrometeorologia de Santa Catarina - CIRAM, A -8.8°C e sensações térmicas que se aproximam de -20 a -30°C no Morro das Torres.




São Joaquim

Considerada a cidade mais fria do Brasil, no inverno São Joaquim atrai visitantes de todos os cantos do país. Quando a neve cai, adultos se juntam às crianças em brincadeiras como guerra de bolas e construção de gorduchos bonecos de neve. O cultivo da maçã é a principal atividade econômica do município. E no final de setembro, a belíssima florada das macieiras e cerejeiras enchem o ar da cidade com um perfume suavemente adocicado.




Rota dos Vinhos de altitude

VINHO DE ALTITUDE

 
PARCEIROS

Av. Ivo Silveira, 340 - Sala 06 | Jardim Minuano | São Joaquim/SC | Telefone: + 55 49 3233 3870 | Celular: + 55 49 9903 9452 

1500m

VINHO DE ALTITUDE Produtores Associados de Santa Catarina